Quantificando o reservatório de provírus latentes do HIV

👊 O HIV sofre mais um golpe certeiro da Ciência. 👩‍🔬 Um tratamento eficaz dos pacientes portadores do HIV, depende da monitoração precisa da carga viral. Esta monitoração é dificultada pela falta de um método diagnóstico capaz de quantificar a carga viral, diferenciando os próvírus ativos daqueles defeituosos (sem potencial de infectar outras células). Um novo método resolveu o problema.

👊 O HIV sofre mais um golpe certeiro da Ciência. 👩‍🔬 Um tratamento eficaz dos pacientes portadores do HIV, depende da monitoração precisa da carga viral. Esta monitoração é dificultada pela falta de um método diagnóstico capaz de quantificar a carga viral, diferenciando os próvírus ativos daqueles defeituosos (sem potencial de infectar outras células). O novo estudo descrito recentemente, desenvolveu um método de PCR digital baseado no isolamento do DNA intacto dos provirus, empacotando-os de forma individual em microgotículas. Estas microgotículas servem de recipientes para uma reação de PCR multiplexada capaz de detectar, simultaneamente, alterações em três regiões do mesmo próvírus. Isto permite a quantificação precisa de próvírus ativos e inativos. A metologia pode permitir um manejo clínico mais eficiente dos pacientes, além de contribuir para a avaliação precisa de futuras terapias que venham a ser desenvolvidas. E como estamos nos aproximando do carnaval, é sempre bom lembrar! USE CAMISINHA!!! Curta nossa página @Ciência, Tecnologia e Inovação Brasil. E por favor, para ajudar a divulgar a nossa página, compartilhe selecionando a opção “Incluir publicação original”, para que seus amigos possam ver o texto original da nossa página ! Click no link abaixo para acessar o artigo completo.

A quantitative approach for measuring the reservoir of latent HIV-1 proviruses.

Bruner KM, Wang Z, Simonetti FR, Bender AM, Kwon KJ, Sengupta S, Fray EJ, Beg SA, Antar AAR, Jenike KM, Bertagnolli LN, Capoferri AA, Kufera JT, Timmons A, Nobles C, Gregg J, Wada N, Ho YC, Zhang H, Margolick JB, Blankson JN, Deeks SG, Bushman FD, Siliciano JD, Laird GM, Siliciano RF.

Nature. 2019 Feb;566(7742):120-125. doi: 10.1038/s41586-019-0898-8. Epub 2019 Jan 30.PMID: 30700913

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *